quarta-feira, novembro 10

Poesia Completa - Volume 1 - Parte 3

"Há uma florzinha que gosto
que só floresce à noite
e dá em uma árvore
que morou lá na calçada.
Não sei o nome da flor
nem sei o nome da árvore
sei que floresce à noite
e murcha pela manhã
contrariando assim o lugar comum
Quem sabe é um passarinho
que em flor se transformou
ou talvez uma índia bela
perdida de seu amor.
Sei que passou um tempo
em frente à minha casa
vivendo numa calçada
e um dia,
anoiteceu e vôou".

"Não vai ficar nada
quando tudo acabar.
tudo vai dar em algum lugar?
O resto, a existência
que do nada, nada virá
ou eu apenas tropecei na filosofia?"

"Caiu a tarde
quebrou as juras
torceu a roupa
com sua mão
à luz da lua
que se aproxima
e empurra o vento
fazendo a onda
bater na rocha
que sem querer
tudo observa."

"A mente vagueia pelos infinitos
de vai-e-vem
de cinzas e descanções
amorosas
Quanta história de amor
acaba em nada."

"Ele pulou no infinito
se estatelou de nudismo
abandonou sua bolsa
que tanto me incomodava
e libertou-se no pó
dando um sorriso de lado
de cabelo esvoaçante
foi cultivar as estrelas."
(para Zoltan )

"Fechar os olhos no santuário
e inspirar o silêncio
dos claustros, das sombras
das mentes.
com os pés nas águas que correm
cansadas das margens
imóveis de saudade
Abandonado no infinito dos sentidos
entrar no paraíso."

"Perdeu-se o peregrino
na peregrinação
de azul celeste
Vendo a santa no andor
ele roubou sua imagem
dos olhos dos fiéis
e amou...
como foram amadas as filhas do Faraó
no céu!"


eliasmouret

Nenhum comentário: