sexta-feira, setembro 24

Noite De Reis

Será que todo mundo vai sumir?
O processo é lento...
mas é uma comédia, não rasgada.
E a poesia então?
Como falar aquelas frases, aquelas respirações
um outro modo de pensar, de agir,
de ver e sentir as coisas.
Quantos naufrágios nas peças? E os bobos?
Voltaire não gostava de shakespeare.
Se esssa informação for útil, disque 2
senão... se não disque... disque 1
O teatro serve para que?
E uma leitura dramatizada?
E uma comédia tão longa? E o amor?
Nós temos que pensar um pouco,
como nos reaproximamos das coisas que deixamos,
dos amigos passados,
dos autores esquecidos.
Shakespeare, por incrível que pareça
é um destes autores esquecidos.
É triste dizer, mas os atores daqui,
tem muitos autores esquecidos,
o que parece ser um paradoxo.
É um amor platônico, vamos manter a distância
para que ele não se encarne e tudo se perca.
Vamos ler Harold Bloom e Bárbara Heliodora
e dormiremos em paz...
Aqui é assim, um apreço pela informação
de terceira mão.
Para não parecer pedante,
não vou insistir demais, no fato,
de que a pouca leitura e pesquisa sobre
diversos autores, clássicos ou modernos,
atrapalha demais a interpretação da vida
e a criação da vida interpretada.
A maioria das pessoas nunca leu Shakespeare,
eu também, nunca li tudo que há para ler neste autor...
sou uma criança que engatinha
ou como dirão alguns, estou sofrendo de
bardolatria.
Vamos apresentar a leitura de "Noite de Reis"
no MUDA, na próxima terça.
Eu acredito que é o começo de um estudo sincero
sobre o autor e sua obra.
Estudo este, que a Trupe de Copas
pretende continuar.
Nós convidaremos os amigos, os interessados
os apaixonados, para partilhar conosco.
Os especialistas, estão descartados.
Para a leitura dramática,
é melhor as pessoas irem preparadas...
a entrada é franca, mas vamos passar o chapéu.

"Aí tens,por teu esforço.
- Não é esforço algum, sir,
para mim cantar é um prazer.
Estou pagando por teu prazer, então.
- Verdade seja dita,senhor,mas cedo
ou mais tarde, o prazer
nos cobra a conta."

Amores platônicos também nos cobram a conta
e os carnais não ficam de fora.


elias mouret

Um comentário:

Diário de bordo disse...

"Amores platônicos também nos cobram a conta..."

Eu disco 2.