sábado, setembro 25

A Dúvida !

Se vc chegasse agora...
acompanhada desta chuva que cai
nesta manhã de sábado.
Se vc não se perdesse no caminho
e eu não errasse o vinho.
Se vc não tivesse tantas certezas puras
e fosse sexualmente impura.
Se vc escapasse do naufrágio, nadando
e pela areia da praia continuasse andando.
Se vc fizesse para mim um origami
desses cheio de símbolismos.
Se a lua brilhasse para a tua tristeza
existencial.
Se vc apreciasse a filosofia
e amasse as estrelas.
Se a nossa saudade fosse boa no final
e pudessemos afastar todo o mal.
Se um punhal de prata
não fosse usado contra vc.
Se a mascarada pudesse se revelar
e falasse o que quer.
Se não falasse nada, e eu pudesse adivinhar
olhando pela janela.
Se os pingos da chuva tocassem o rosto,
como uma benção.
Se os amigos aparecessem, sem marcar hora
sem avisar, arriscando como trapezistas.
Se vc reencontrasse a paisagem da infãncia
e pulasse o muro da escola.
Se vc amasse o palhaço triste do circo
e eu de ciúme morresse.
Se eu soubesse dançar,
e vc me acompanhasse a meia luz.
Se eu ascendesse as velas,
e vc apagasse.
Se nós afastassemos as dores
aos sábados e domingos.
Se caminhassemos descalços
percebendo tudo pelos pés.
Se nossa cabeça pirasse
dentro da noite.
Se nós atravessassemos o véu.

elias mouret

A Trupe de Copas apresentará:
"Noite de Reis" de William Shakespeare
Terça, 28 de setembro
no MUDA.
( leitura dramatizada)

2 comentários:

vivi disse...

e se eu tudo entendesse...
e se o mistério fosse meu caminho de paz
e se tudo mudasse, nada mudaria

bam, meu amigo, e se você nos deixasse ler mais seus escritos?


Vivi.

Diário de bordo disse...

E se intentasse um verso
Por mais curto e mais fiel
Que amasse o dia e a noite em vão
qual a sua solução?