sábado, maio 15

Novas diretrizes em tempos sem paz!

Manifestações culturais...
Pensamentos divergentes...
Isonomia, isegoria...
cidadão pode falar abertamente sem correr riscos...
risco de ser torturado...
excluído.
Funcionários públicos podem questionar abertamente...
questionar seus chefes...
as políticas implantadas pelos mesmos...
sem serem perseguidos...
importunados por um pelego qualquer...
um sub do sub
bolsistas e estagiários tb...
podem questionar...
nada de dogmas...
nada de intocáveis...
radicais livres...
moderados tb...
covardes idem.
Nós precisamos saber quem é quem.

Segunda-feira, vamos abraçar o Santa Isabel.
Quero propor algumas coisas para nossa reflexão:

Quando vc entra no serviço público, deve imediatamente pensar e agir
como um condenado, que apenas obedece ordens,
por mais estúpidas que elas sejam?
Vc se abstem da sua humanidade, da boa educação,
e usa seu novo cargo ou serviço para humilhar e afastar?
Vc deve aceitar caladinho, fazer serviços sem receber
ou receber com meses de atraso, apenas para não desagradar o chefe,
o sub do sub, ou não perder o emprego?
Vc não acha indecente que partidos de base popular, trabalhistas,
socialistas e etc... tratem o trabalhador desta forma?
Agora que vc está aí ou vai entrar, vc deve esquecer todos os sonhos
e começar a construir o discursinho
de que o sistema é assim mesmo?
O sistema foi criado por Marcianos?
Vc é feliz?
Tenho vários amigos nestas instituições...
estas reflexões primeiras, são para eles.

E os dogmas?
Nós podemos viver em um mundo sem a Fundarpe,
sem a Fundação de Cultura do Recife?
Vc já pensou nisso?
Qual a necessidade destas instituições?
Será que as mesmas não estão ultrapassadas, atrasadas, obsoletas?
Não podemos questionar isto?
Eu proponho a extinção das mesmas e a criação
de escritórios de negócios da cultura...
agéis, modernos, totalmente informatizados, enxutos,
com funcionários concursados e todos recebendo em dia.
Quem quiser mais informações entre em contato.

Mas, as instituições existem, meu deus!
Vamos conversar com elas por enquanto.

O fomento da prefeitura é uma desgraça..
então proponho que ninguém se inscreva neste fomento
até estes valores ridículos mudarem...
Proponho tb um fomento complementar para este ano... 400 mil.
para o próximo ano 500mil.
Podemos começar daí? E a verba?
Acredito que a prefeitura sabe de onde tirar...
afinal sempre aparece um dinheiro, rolando pelas esferas.
Tb vamos banir de todo edital que aconteça em Pernambuco,
a tal da contrapartida social.
A arte é a contrapartida social que o artista dá a sociedade.
Ela tem valor em si mesmo.
Qual a contrapartida social da copa?
Devemos ficar atentos a isso. Não envolve dinheiro?
Então envolve todo o resto.
É aquilo em que as pessoas crêem que faz o mundo girar.
Seria bom tb, que toda verba municipal ou estadual, destinada a cultura,
fosse objeto de edital público. Nada de fulano e sicrano
recebendo uma ajudazinha por fora.
Nada de dinheiro para prefeitos corruptos. Quer interiorizar?
Realização de editais públicos para os artistas e produtores,
nas diversas regiões do estado.
Os editais meu deus! Os editais! Eles devem ter data fixa.
Todos os anos as mesmas datas.
É assim que uma produtora cultural pode se planejar
e gerar emprego e renda.
Os editais tb devem ter um calendário de prazos para os dois lados...
não só artistas e produtores devem cumprir prazos.
O Estado tb deve.
Proponho tb que a documentação seja a última coisa
a ser solicitada... podemos resolver uma questão
referente a comprovação de residência,
mas dúvido que um projeto ruim, fique bom
do dia pra noite.
O critério de aprovação de um projeto artístico,
deve ser sempre o projeto artístico...
depois, pode-se pedir a documentação dos selecionados.
Não parece uma coisa óbvia?
Ufa! Não quero sufocá-los com esta introdução...
espero que estas reflexões nos ajudem.
Traga a sua tb e não esqueça:
Eu quero saber quem é quem.
Os radicais livres...
os moderados tb...
e os covardes idem.


eliasmouret

Um comentário:

Cleyton Cabral disse...

Ou seja, fica a dica.